BBB20: Saída de Pyong Lee faz público aprender muito, diz colunista

O brother foi eliminado na última terça-feira com 51,70% dos votos

Na última terça-feira (17), o hipnólogo Pyong Lee se tornou o oitavo eliminado do Big Brother Brasil 20. Ele recebeu 51,70% dos votos dos telespectadores do programa em uma disputa por permanência com Babu Santana e Rafa Kalimann.

É possível afirmar que o paredão em questão se tornou o segundo com mais votos na história do programa, perdendo apenas para a ocasião em que Pyong disputou com o modelo Guilherme Napolitano.

PUBLICIDADE

Entretanto, para além disso, a saída de Pyong Lee foi uma verdadeira fonte de aprendizados sobre o que acontecerá na reta final do BBB20. De acordo com o colunista Leandro Cameiro, do UOL, é possível concluir que a soberba é aquilo que precede a queda no confinamento.

De acordo com o colunista citado, com certeza você já ouviu isso pelo menis uma vez na sua vida, mas ver Pyong perdendo para alguém que ele considerava um participante fraco foi algo que ilustrou essa frase com perfeição.

PUBLICIDADE

Outra coisa que a saída de Pyong Lee conseguiu ensinar para o público do BBB20 foi sobre amizade verdadeira. Segundo Cameiro, por mais que as pessoas não gostem de Felipe Prior e Babu, é inegável que os dois se tornaram amigos e a comemoração da permanência do ator na casa só deixa isso mais claro.

Por fim, o colunista ainda apontou que sempre que algum amigo de Marcela deixa o confinamento, ela tende a apontar que isso foi fake.

PUBLICIDADE

De acordo com Leandro Cameiro, a médica passou mais de uma hora afirmando que o paredão não foi verdadeiro e que Pyong voltaria para a competição a qualquer momento.

A mesma coisa aconteceu quando Petrix Barbosa foi eliminado, mas dessa vez a dúvida foi tão potencializada que Marcela chegou a questionar a veracidade das informações sobre o coronavírus.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.