Cantor gospel vira a casaca, sai do armário e assume ser homossexual no programa Superpop de Luciana Gimenez

Embora esse caso tenha ocorrido em 2018, ele voltou a repercutir nas redes sociais. Entenda a história:

Leandro Luiz teve um áudio vazado onde assumia sua homossexualidade, porém, recentemente ele oficializou sua escolhe sexual no programa Superpor.

PUBLICIDADE

O famoso cantor gospel Leandro Luiz viveu um momento tenso nos últimos tempos desde que teve um áudio vazado na web. No som ele assumia sua homossexualidade e aparentava não se importar com a opinião daqueles que estão ao seu redor. O caso foi muito falado no meio gospel e após literalmente sair do armário, Luiz foi parar no Superpop no dia 08 de agosto.

O programa que é transmitido durante as noites contou com a participação especial de Leandro e o cantor anunciou de vez que estava oficialmente abandonando o mundo gospel. Ao lado da apresentadora Luciana Gimenez na Rede TV o artista não teve medo algum de expor os seus desejos publicamente e declarou que os homossexuais em geral sofrem uma pressão extrema no meio gospel.

PUBLICIDADE

Ele aproveitou para revelar no Superpop que ainda possui um contrato ativo com sua gravadora e não queria parar de cantar, apenas estava deixando a música evangélica por não se sentir feliz com este estilo. Ressaltou que não pretende se afastar de Deus, apenas estava se distanciando da igreja.

Em seu relato explicou que os homossexuais vivem todos os dias diante de uma pressão enorme do mundo gospel, essa seria a razão principal pela qual teria decidido abandonar de vez sua carreira como cantor gospel. Sem muito que falar frisou o que disse no áudio e afirmou que era verdadeiramente o que tinha vazado.

PUBLICIDADE

No tal áudio Leandro Luiz disse que gostava de homens e estava muito feliz com sua opção sexual, se lixava para o que as pessoas ao seu redor iriam pensar e sabia da decepção que iria levar aos que sempre acompanharam o seu ministério.

Porém, o artista deixou claro que preferia viver sendo um homossexual e julgado pelo resto da sociedade do que longe de deus sobre mentiras. O jovem colocou lenha em uma fogueira que incendeia uma discussão antiga a respeito dos evangélicos mais conservadores e os grupos LGBTs da atualidade.

Não é novidade para ninguém que ambas as comunidades vivem em pé de guerra e é sempre uma confusão quando algo inesperado do tipo acontece, um cantor gospel se declarando ser homossexual, por exemplo.

Prefeitura proíbe igreja nos EUA de realizar cultos em seu próprio estabelecimento

Nos Estados Unidos uma igreja que acabou sendo proibida de dar cultos pela prefeitura da cidade está chamando muita atenção nos últimos dias. Tudo aconteceu no estado de Maryland, na pequena cidadezinha de Laurel.

Lá uma igreja estava com planos grandiosos para o futuro, planejaram e concluíram vários projetos como abrir uma cafeteria e servir café durante os seis dias da semana e promover seus cultos no domingo. Porém, pouco tempo depois da cafeteria denominada Ragamuffins ter sido aberta, os agentes da prefeitura fizeram algo surpreendente.

Eles exigiram que os responsáveis parassem de utilizar a loja para realizar os cultos no domingo e caso insistissem em desobedecer estas ordens, eles iram ser multados semanalmente. Após as exigências a igreja entrou com um processo de discriminação contra a prefeitura da cidade.

O processo se deu início no mês de janeiro e a intenção dos responsáveis pela igreja era realocar a igreja juntamente à cafeteria, eles tinham reais esperanças de usar todos os lucros em prol do evangelismo, queriam servir além de café, refeições gratuitas para os moradores de rua e depois poder transmitir a palavra de Deus para eles.

A ADF (Aliança em Defesa da Liberdade) foi até o Tribunal Distrital Federal de Maryland representando a Igreja da Comunidade da Redenção e apresentou argumentos orais para tentar vencer o processo. O reverendo Jeremy Tuinstra disse ao jornal Baltimore Sun que o propósito único de sua igreja é tentar passar o enorme amor de Deus adiante.

À CBN News, a assessora jurídica da ADF, Christiana Holcomb informou que a igreja teria comprado a propriedade já com planos de lançar essa cafeteria, queriam que o café fosse uma das partes do ministério da igreja e aos domingos o culto iria acontecer como de costume.

Porém, a prefeitura “inventou” obstáculos e fez de tudo para que a cafeteria não desse certo, alega que eles agiram de má fé mudando suas próprias leis três dias após de vasculharem a propriedade pela primeira vez.

PUBLICIDADE

Escrito por Larissa Silva

Amo praia, natureza e escrever. Publicitária e redatora em portais online. Contato: [email protected]