“Diego Maradona foi morto, foi abandonado à própria sorte”; diz advogado de enfermeira

A enfermeira chegou a falar para o médico para levar no hospital mas ele disse que não iria levar para que o jornalista não descobrisse

Na última quarta-feira (16) o advogado da enfermeira Taiana Madrid afirmou que Diego Maradona foi morto, ele chega a apontar que o médico que cuidava do ídolo argentino é responsável pela sua morte enquanto ele estava se recuperando de uma cirurgia.

O advogado afirma que no dia que foi morto Maradona estava sendo tratado de um programa cardíaco e não foi socorrido de maneira adequada, não foi levado para o hospital quando precisava, ele estava com aceleração do batimento cardíaco.

PUBLICIDADE

A enfermeira chegou a falar para o médico para levar no hospital mas ele disse que não iria levar para que o jornalista não descobrisse, a enfermeira deu depoimento sobre as circunstâncias da morte de Diego Maradona.

A investigação ainda continua acontecendo na Argentina, 7 pessoas já foram acusadas de homicídio simples e doloso, algumas pessoas estão sendo acusadas como o neurocirurgião Leopoldo Luque, o psicólogo Carlos Dias, a Psiquiatra Augustina e os enfermeiros Daiana Madrid, Ricardo Almirão e também o enfermeiro Mariano.

PUBLICIDADE

O advogado afirmou que esse tipo de crime pode levar até 25 anos de prisão, não acredita que serão preso por tanto tempo mas que venham pagar por não ter cuidado corretamente de Maradona, foi uma inteligência muito grande ele poderia estar vivo.

Se tivessem ocorrido e levado para o hospital estaria vivo, segundo o advogado Maradona foi abandonado à própria sorte ele morreu por uma grande negligência.

PUBLICIDADE

Maradona ídolo do futebol na Argentina e no mundo morreu no dia 25 de novembro de 2020 com 60 anos de idade houve uma grande comoção em toda a Argentina.

 

Via: uol.com.br

PUBLICIDADE

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.