Ex-lésbica encontra Jesus e vê mudança radical acontecer em sua vida

Janet Boynes deixou de ser lésbica ao encontrar Jesus e agora trabalha arduamente para evangelizar outras pessoas que se encontram na mesma situação que já esteve.

Janet Boynes é uma mulher que passou muitos anos de sua vida vivendo como uma lésbica, porém, em determinado período de sua jornada, conheceu Jesus e decidiu seguir os seus passos. A partir daí uma verdadeira mudança iria acontecer em sua vida. Tanta coisa mudou para Janet que no ano de 2006 ela teve a iniciativa de criar um ministério para poder evangelizar pessoas LGBTs.

PUBLICIDADE

Boynes chamou a atenção para diversas coisas em um artigo destinado a revista Charisma. Precisamos lembrar que não é só no Brasil que existe uma intensa tentativa de se ridicularizar os homossexuais. Nos Estados Unidos, país onde Janet mora, também existe esse tipo de coisa e em muitas regiões americanas coisas como “cura gay” ou “terapias de reversão” são proibidas.

Ela alegou que agora as coisas estão piores do que nunca, os LGBTs tentam impor o seu estilo de vida sobre toda a sociedade e isso inclui a aceitação total das igrejas. Em sua opinião, muitos pastores e líderes católicos preferiram fugir da luta ao invés de enfrentar tal situação.

PUBLICIDADE

Aproveitou para ressaltar o aparecimento de igrejas que não consideram a homossexualidade como pecado, lembrando que tal criação acabou gerando uma dúvida cruel para as pessoas em relação a posição verdadeira da bíblia. Voltando a falar que os líderes cristãos não estão enfrentando a batalha como deveria ser travada, aponta que preferem deixar as crenças fundamentais sobre casamento e família serem destruídas pela comunidade gay.

Tudo isso por medo, o medo de acabar ofendendo alguém sem nenhuma intenção, apenas seguindo o que de fato a Bíblia defende. Boynes chega a dizer que a maioria deixou suas próprias convicções para trás e que seus corações se transformaram em gelo, exatamente como Jesus afirmou que iria acontecer em Mateus 24:12.

PUBLICIDADE

Para por fim aos seus pontos de atenção, informou que sabe bem das estratégias utilizadas pelos LGBTs, sabe por que viveu durante muito tempo do outro lado da moeda, ela que era uma ex-lésbica aponta que eles tentam enganar as pessoas como se fossem vítimas.

Garoto de 2 anos que fumava 40 cigarros por dia está completamente diferente

O mundo inteiro ficou de boca aberta em 2007 quando o caso do menino que fumava mais de 40 cigarros por dia. Na ocasião ele tinha apenas 2 anos de idade e já era um fumante. A notícia acabou ganhando destaques em grandes jornais do mundo inteiro. Por vários dias, o caso do garotinho que se tornou fumante foi assunto nas principais manchetes do mundo.

O tempo foi passando e o menino continuou fumando. Sem dinheiro para comprar cigarros, ele pegava as “bingas” que eram jogados foras. Bingas são aqueles pedacinhos que sobram e a pessoa joga fora.

Na ausência do tabaco, a criança ficava extremamente agressiva. Em alguns casos o pequeno garoto chegava a desmaiar quando ficava em abstinência. O tempo foi passando e finalmente o garotinho de nome Rizal se submeteu a um tratamento para que ele conseguisse largar o vício. Embora ele tenha conseguido abandonar esse hábito ruim, um outro problema aconteceu. Em sua abstinência ele ficava muito ansioso e por isso comia de forma exagerada.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Larissa Silva

Amo praia, natureza e escrever. Publicitária e redatora em portais online. Contato: [email protected]