Neymar comete segundo crime e será investigado pela policia

A segunda investigação policial se concentra em cibercrime

a segunda investigação policial se concentra em cibercrime dado Neymar levou para o Instagram dois dias após o relatório foi apresentado para negar a acusação e compartilhar trocas de texto sexual que ocorreram entre os dois após o suposto estupro ocorreu, para provar que suas interações eram consensuais.

Os textos incluíam fotos sensíveis do modelo. Postar fotos íntimas de outra pessoa é crime de acordo com as leis brasileiras. A polícia do Rio de Janeiro abriu a investigação, porque Neymar mostrou as fotos nas mídias sociais enquanto estava no Rio de Janeiro treinando com a seleção brasileira.

PUBLICIDADE

Neymar deu seu depoimento quinta-feira na delegacia do Rio de Janeiro em relação ao caso do cibercrime, de acordo com seu advogado de defesa. Sua advogada, Maria Fernandes, confirmou à Reuters que Neymar havia dado uma declaração à polícia.

Neymar, que estava em uma cadeira de rodas depois de sofrer uma lesão no tornozelo enquanto jogava pelo Brasil no início desta semana, foi levado para a entrada da delegacia de polícia por meio de hordas de repórteres antes de se levantar e entrar de muletas.

PUBLICIDADE

Falando fora da delegacia, Neymar foi citado pela Reuters dizendo: “Eu agradeço o apoio e todas as mensagens que o mundo enviou, meus amigos, meus fãs, que o mundo está comigo. Eu quero agradecer pela bem desejos, e dizer que me senti muito amado. Obrigado pelos desejos de todos. “O advogado Fernandes acrescentou: “Ele fez questão de vir o mais depressa possível para dar uma declaração, para esclarecer tudo o que precisava ser esclarecido”.

O depoimento nada tem a ver com as alegações de violação que teriam ocorrido em Paris.

PUBLICIDADE

“Estamos absolutamente confiantes de que vamos provar a inocência do nosso cliente. O processo foi minucioso, mas ele forneceu todos os esclarecimentos a serem fornecidos”, disse Fernandes.

A emissora entrou em contato com Neymar e seu clube Paris Saint-Germain para comentar as alegações feitas por Trindade na entrevista, mas ainda não recebeu uma resposta.

A promotoria de Paris confirmou à emissora na sexta-feira que ainda não há nenhuma investigação aberta sobre o caso na França.

Enquanto isso, a Nike diz que está “muito preocupada” com as alegações de estupro contra Neymar, lançando dúvidas sobre sua parceria com o jogador de futebol mais caro do mundo.”Estamos muito preocupados com as recentes alegações e continuaremos monitorando de perto a situação”, disse a Nike em um comunicado enviado à CNN.

A declaração veio depois que Trindade, de 26 anos, disse à emissora de TV SBT TV que Neymar havia estuprado e violentamente a agredido em um quarto de hotel em Paris em 15 de maio, o que o astro do futebol nega .

PUBLICIDADE

Escrito por Larissa Silva

Amo praia, natureza e escrever. Publicitária e redatora em portais online. Contato: [email protected]